domingo, 9 de agosto de 2009

Crônica sobre o Circuito do Sol no GBAlmanac

Galera,

A Lia Palka, do sensacional Blog GBAlmanac (http://www.gbalmanac.blogspot.com/ ) e nossa grande parceira no Blog GBA (http://www.gbabaloes.blogspot.com/ ), postou um das mensagens que trocamos recentemente em PVT sobre o meu real sentimento a respeito da difusão da Arte com Balões e do Circuito do Sol (http://www.circuitodosol.blogspot.com/) por esse nordeste maravilhoso. O texto agora mais parece uma crônica de viagem. Confiram...

Deixo registrado publicamente o meu sincero agradecimento. Valeu demais, Lia!!

Segue na íntegra, com direito a caricatura e tudo...:


"Com a roupa encharcada e a alma repleta de chão,
todo artista tem de ir aonde o povo está.
Se foi assim, assim será..."


Recebemos o seguinte e-mail do Empresário-Desbravador Costa Brazil tão colorido e rico em detalhes que resolvemos publicar aqui no GBAlmanac para que tenham idéia dos desafios encontrados para a divulgação da Arte com Balões no NORDESTE.


"Ufa!! Sabia que nem tenho coragem de enviar fotos minhas atuais em Orkuts, GBAs, Blogs, etc...!?!? Estou parecendo um "zumbi"!!! Só ontem consegui tempo para finalmente "dar um tapa no visual" e cortei meu cabelo (ou o que ainda resta dele, rsrsrs...). Ô loco...

Mas são muitas viagens por estradas esburacadas, engolindo poeira, sentindo o sol queimar a pele (estou "pretinho da silva", rsrsrs...) e muitas noites mal dormidas e uma alimentação não tão regrada (cadê a Herbalife!!!!), principalmente porque existem localidades que nem vagas dispõem em pousadas ou nos hotéis e muitas vezes fico em residências de amigos, parceiros ou até mesmo gente desconhecida com as quais fazemos amizade.

É Lia, nunca aquela canção que já cantarolei algumas vezes fez tanto sentido:

'Com a roupa encharcada e a alma repleta de chão,
todo artista tem de ir aonde o povo está.
Se foi assim, assim será...'

(ô música linda, mermão!!!).

Não, não é fácil ser artista. Nem microempresário neste país de meu Deus. Mas é lindo demais desbravar e conhecer tanta coisa que nem imaginamos existir. Belezas que são forçadamente disfarçadas por políticos e até mesmo pela mídia para que pareçamos pobres e necessitados e rendam votos e audiência sensibilizantes. Sim, existe uma parte da pobreza exagerada, o chão rachado, o gado e o cachorro magro, castigados pela seca, é fato, mas também existe o lado melhor, muito mais aparente, mas que justamente pela falta de alarde, imaginamos não existir.

Esse é o meu Nordeste.
Esse é o interior do meu Ceará e de tantos outros estados brasileiros


E nunca me senti tão satisfeito e feliz por estar conhecendo esta realidade com tanta proximidade e colaborando para gerar oportunidades às pessoas que nem sequer sonhavam que se deparariam com o que eu acabo mostrando.

E outra situação que me deixa contente é ver crianças e adultos com sorriso aberto ao receber um balão. Ali eu sei que deixei um pedacinho do meu trabalho e quem sabe uma pequena "semente" que fará brotar um novo e talentoso artista, tão apaixonado por balões quanto eu.

De novo, a Magia dos Balões acontecendo!

Sabe, dá vontade de criar um tipo de FAMTOUR destinado a trazer os empresários do setor de balões para conhecerem mais de perto o "nosso produto" Nordeste. Teriam não só uma grata surpresa, mas também se motivariam e se sentiriam melhor após se envolverem diretamente conosco e facilitassem para que tudo se transformasse.

Não, não confundam minhas palavras com ufanismo ou bairrismo. Não é a intenção. Procure interpretá-las de forma carinhosa quando me refiro ao meu Estado ou região de origem, que é justamente o que sinto quando me refiro à eles.Sou é brasileiro de paixão! Amo o frio de Sampa e o churrasco das terras gaúchas, adoro a ginga baiana, o sotaque carioca, o charme paranaense, o exotismo amazônico e tudo o que for do BRASIL.

Putz, desculpa a "descolada" no texto, rsrsrs...acho que ando "viajando" demais, né!?!?

É, Lia, quando fazemos a coisa por AMOR E DEDICAÇÃO, tudo se transforma e por mais que seja difícil a jornada, se torna fácil e gratificante. Provavelmente é por isso que você também realiza tão bem o seu trabalho nos blogs. Pura PAIXÃO!

Desejo uma estada maravilhosa lá nos States .... E é claro, sempre nos enviando notícias.


Beijão,

do parceiro e amigo,

Costa Brazil"

domingo, 5 de julho de 2009

terça-feira, 23 de junho de 2009

Arte com Balões que emociona!

clique na imagem para ampliar

De tempos em tempos, no mundo dos balões, surgem trabalhos que nos surpreendem.

Jesus, Rosto divino do Homem, Rosto Humano de Deus”, projeto original de autoria de Luciano Mancuso (www.cerradolatex.com.br), realizado pela equipe Art-Látex (www.artlatex.com.br) , utilizando os versáteis balões Lig-ball como destaque na sua produção, durante a edição do evento Idéias Gigantes, em Curitiba, é um deles!

É justamente o impacto visual que leva o público a acreditar, que apesar de efêmero, o que fazemos se chama “Arte com Balões”.

Olhares perplexos e sentimentos de admiração traduzem o que o artista gostaria de transmitir com a sua obra.

A Arte só existe quando impacta e emociona! Na atividade com balões, quando imaginamos um projeto e queremos transformá-lo em uma obra de arte, a escolha do tema, mediante pesquisa prévia, da técnica a ser utilizada, os tipos de balões e até mesmo a equipe que o realizará fazem a diferença que garantirão o resultado final e a intenção almejada.

Quando a Lia Palka citou em seu blog (www.gbalmanac.blogspot.com), de onde capturamos a imagem postada aqui, que tal painel entraria para a história nacional da nossa atividade, convictamente não errou. Novamente percebemos outro ponto importante: os novos talentos estão aparecendo e se mostrando cada vez mais.

Parabéns Mancuso-DF. Parabéns Keyla-RJ, JP-SP e André Figueiredo-BA. Parabéns Art-Látex - Senhores Renato, Lúcia e Rita Magalhães, por apostarem em ações desse tipo.

Parabéns Balonismo Artístico brasileiro, pois percebemos que a cada dia estamos muito bem representados e se renovando, surgindo valores autênticos.


terça-feira, 9 de junho de 2009

O amor está no ar...com balões!

clique nas imagens para ampliar

Quem nunca se apaixonou? E se ainda não se apaixonou, provavelmente está a procura do seu par ideal...
O Dia dos Namorados está tomando a frente de outras datas especiais como o Dia das Mães e até mesmo o Natal. Todos querem agradar os seus pares ou, quem sabe, ganhar a simpatia de alguém. Comercialmente, fortalece as vendas e não é à toa que existe sempre uma novidade surgindo, fazendo o bolso esvaziar. Comprovadamente, para o amor não existe limite (os cartões de crédito que o digam, concordam!?!?).
Mas como surgiu a tradição de comemorarmos uma data que cresce em aficionados (seria pelo amor ou pelos presentes?).
Pela versão mais difundida, existiu um padre, na Roma antiga, no século III, chamado Valentim, que se voltou contra as regras impostas pelo imperador Cláudio II, o qual proibia o casamento durante as guerras por acreditar que a solteirice garantiria uma melhor “perfomance” nas batalhas.
O tal padre radicalizou e não só celebrava casamentos às escondidas, como também se casou secretamente. É claro que o seu destino foi prisão e ainda por cima, condenado à morte. Por lá, se engraçou com a filha do carcereiro, e, milagrosamente (!?!?), devolveu-lhe a visão. . Deixou-lhe um bilhete antes de morrer, assinando-o como “Seu Namorado”. Será que vem daí a frase “O amor é cego”?
De qualquer forma, Valentim virou mártir pela igreja católica, venerado no dia da sua morte, 14 de fevereiro. Outra versão, ditada pelos ingleses e franceses, conta que no século XVII, eles passaram a celebrar o Dia de São Valentim como a união do Dia dos Namorados e tempos depois, nos Estados Unidos, se transformaria no Valentine’s Day.
Contam também, que na Idade Média, no dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros e assim os namorados utilizavam esse mote para deixar mensagens de amor na soleira da porta da amada.

A partir do dia 12 de junho de 1949, o Brasil passou a comemorar a data, quando o publicitário João Dória trouxe a idéia do exterior e a apresentou aos comerciantes, justificando que seria uma oportunidade para alavancar as vendas naquele período, justamente a data que antecede ao dia do “casamenteiro” Santo Antonio. Todos concordaram em aceitá-la e a data entrou para o calendário comercial do país.
E novamente os balões entram em cena, hoje em dia transformando qualquer ambiente ou vitrine e também ditando moda com os “buquês” de balões ou até mesmo ornamentando suítes em motéis, dando um toque a mais na chama da paixão que incendeia corações nesse período.




Portanto, inspire-se e comemore – Love is in the air...”, com os balões Costa Brazil!

OBS.: Algumas fotos desse artigo foram gentilmente cedidas por empresas do segmento de arte com balões e também obtidas em diversos sites da internet.

terça-feira, 2 de junho de 2009

A "Melhor Marca"

Num dos últimos assuntos abordados no GBA - Grupo Balonismo Artístico, o da “Melhor Marca” de balões gerou uma repercussão impressionante.

E vai lá a minha a respeito:
Há deficiências sim, em praticamente todos os balões das marcas nacionais que utilizamos. Por enquanto, seria inconseqüente e inverossímil dizer que existe determinado balão que atingiu a excelência em qualidade.

Com o avanço tecnológico e a informação mantida em tempo real, os fabricantes se vêem preocupados em se atualizar e atender as nossas expectativas consumistas, se levarmos em conta que anos atrás não dispúnhamos de quase nada além do tipo 260.
Mas ainda falta um longo caminho a percorrer, pois alguns pontos geográficos do Brasil estão completamente desassistidos, gerando consumidores insatisfeitos. Nesses lugares, mal se encontra o balão de "combate".

A "Melhor Marca" de balões será justamente aquela que chegar primeiro em cada um desses alvos e não deixar faltar, no mínimo, o básico do que necessitamos. E também aquela que apostar nos projetos de profissionalização existentes hoje em dia.

Assim como no exterior, em breve qualquer dona de casa saberá distinguir um balão da linha profissional do de “combate” e acertadamente se decidirá, assim como já fazemos, pela 1ª opção. Ah! E procurarão adquirir os equipamentos e acessórios que hoje ainda são privilégio de poucos. Os termos profissionais, como “cluster”, “guirlanda de seção quadrada” ou “SDS” serão corriqueiros no dia-a-dia das pessoas comuns.

Aguardem e verão a "Melhor Marca" de balões exposta em outdoors pelas ruas das principais cidades e/ou disputando a ponta da gôndola dos hipermercados.

Por estar em uma região brasileira que sofre com a falta do que está disponibilizado ao mercado profissional pela indústria do setor, compreendo e sou solidário com o que muitos reclamam da distribuição escassa de produtos, como foi colocado pelo participante João Zuculotto. E ele também está correto, quando cita o comportamento dos profissionais que, de alguma maneira, são beneficiados pela indústria e sentem-se constrangidos de darem o seu testemunho verdadeiro para não prejudicarem seus acordos.

Acabo entrando no rol, pois já tive um dos maiores patrocínios viabilizados por um fabricante nacional (São Roque) e, posteriormente, firmei contrato de uso de imagem e assessoria, com a Riberball/Pic-Pic. Atualmente, mantenho parcerias comerciais isoladas, mas crescentes, com outro grande da indústria, a Art-Latex, numa relação aberta e amistosa.

No entanto, não posso opinar quanto aos meus colegas, mas quanto a mim, fortaleço a minha imagem justamente para valorizar o meu “passe” e deixando claro que ao firmar qualquer acordo não posso me isentar dos meus princípios éticos e profissionais, principalmente como formador de opinião, do qual tenho consciência que sou, colaborando justamente com os interesses dos que realmente ajudam a alavancar o mercado, ou seja, os profissionais (decoradores, artistas e demais consumidores de balões). Ao mesmo tempo, existe a necessidade de realizar o que imaginam (e me pagam!) para que eu faça – Atrelar a minha imagem à sua marca e produtos e ser seu porta-voz, mesmo por tempo determinado.


Pelo menos até agora, fui compreendido por todos com quem fechei tais acordos e afirmo que respeitaram meu posicionamento.
Nunca fui pressionado a dar falso testemunho e os relatos que redigi ou as situações que foram evidenciadas sempre ocorreram e agi por iniciativa própria.

Ser autêntico não significa conflitar e sim deixar claro nosso posicionamento.

Inclusive, se encontro ambientes favoráveis e estou sendo patrocinado ou apoiado, nada mais justo do que utilizar mecanismo para favorecer quem investe na minha imagem. As contrapartidas devem existir. Nunca somente um pode ganhar. Isso faz parte de qualquer atividade onde a visibilidade de alguém pode gerar retorno comercial para outro.

A meu ver, o que deve ocorrer é RECIPROCIDADE, PROFISSIONALISMO e RESPEITO.

Para nós, profissionais e consumidores, creio que devemos ser um pouco menos instigantes na procura do erro ou falhas e se as detectarmos, apontá-las de forma consciente e coerente.

Se a indústria entender nossas críticas como algo positivo, fatalmente crescerá e melhorará.
No fundo, verdadeiramente, o momento é de alianças entre nós – aliança quase de amigos, tão sinceros que se houver uma crítica dura, mas com a intenção de ajudar, que seja assimilada e processada, gerando resultados positivos, pois amigo de verdade acata a crítica ou a opinião contrária do outro sem titubear, sabendo que é para o seu bem.

terça-feira, 19 de maio de 2009

CB na Expo Parques e Festas/SNAB/ENDEFI

A participação em feiras comerciais é um dos pontos fundamentais para aumentar a visibilidade comercial e institucional de uma empresa. Para o expositor, existe a possibilidade de observar seus concorrentes, a aceitação dos seus produtos e o fortalecimento da sua marca.

Para o visitante, é uma excelente chance de encontrar oportunidades e fazer bons negócios, além de ficar atualizado com as informações mais recentes do seu mercado de atuação. Vale o investimento, se for realizado de maneira coerente e planejado.

A Expo Parques e Festas, ocorrida de 05 a 08 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo, promovida pela Francal, é uma das ótimas referências para o setor de Festas e eventos. Nela, foram inseridos eventos paralelos, destinados a públicos específicos, como o dos balões, com o SNAB, e o ENDEFI, voltado aos decoradores de festas infantis.

Participamos como um dos convidados exclusivos da Art-Latex, um dos maiores fabricantes de balões de látex do país, o qual estava lançando sua nova linha direcionada ao público profissional. Registramos nossa passagem pelo evento, em fotos apresentadas no clipe deste artigo. Nelas podemos visualizar a presença dos visitantes, amigos do setor e parceiros do Circuito do Sol e GBA.
video

sábado, 11 de abril de 2009

Coelho da páscoa

A Páscoa é um período comercialmente excelente para os shopping centers, após o marasmo decorrente da folia momina.
Logo que comecei a trabalhar artisticamente com balões de látex, percebendo o nicho de mercado existente, elaborei projetos voltados para esta temática. Na verdade, a minha primeira escultura tridimensional gigante foi a de um coelho, produzida em abril de 1998, para o Shopping Iguatemi de Fortaleza, Ceará.

Vi que não seria tarefa fácil, pois na época não possuía nenhum traquejo em esculturas tridimensionais, consideradas por muitos profissionais como uma das técnicas mais difíceis. Naquela época, início da difusão da arte com balões pelos americanos, poucos se atreviam a enveredar por tal caminho. No Brasil eram raros quem se habilitava a realizá-las. E foi o que me estimulou ainda mais.

Folheando a “bíblia” dos balões, a revista americana Images, publicação da Pioneer Co., exclusivamente para divulgar a marca Qualatex, vi diversas esculturas e cenários.

Baseei-me por alguns trabalhos, não lembro agora de quais artistas foram e então criei o projeto “Parque da Páscoa”. Inserimos esculturas em estrutura simples, sem tanta complexidade, como cenouras gigantes, flores, árvores e arcos para ambientar as várias praças do shopping. Na praça com o pé-direito mais amplo, contemplando o gigantismo da escultura principal, foi colocado o “Papai Coelho”, que tinha mais de 8m de altura.

Numa maratona que levou praticamente uma semana ininterrupta de trabalho árduo junto com a minha equipe, dobrando barras de alumínio, cortando telas de arame galvanizado (haja furos nos dedos, doía demais!) e fixando-as com arame nas peças do “esqueleto” do “coelhinho”. Primeiro as patas, depois o tronco, a cabeça e por fim as orelhas. Tudo produzido separadamente, para depois serem montadas definitivamente, uma a uma, formando a peça completa, no interior do shopping.

Lá é que “o bicho pegou”: A montagem de todo o cenário não poderia ultrapassar 8h. Exigência do cliente. E ainda tínhamos mais de 9.000 balões para inflar. E nem todos na equipe dominavam as técnicas de enchimento, amarração e, principalmente, de fixação dos balões na estrutura, que era feito com o auxílio de clips.

Maratona! Quem não tiver preparo físico (e psicológico!), não recomendo que se aventure.

Foram horas de sufoco, quase sem tempo nem para respirar.

Na escultura gigante, do corpo e das peças inferiores nem tivemos tanta dificuldade para montá-las, mas quando partimos para posicionar a cabeça e as orelhas, vimos por qual motivo trabalhar com balões não é nenhuma brincadeira! O relógio corria contra nós. Suamos literalmente a camisa e quase borramos as calças (Ops!).

Mas como tudo sempre dá certo no final para quem persevera e busca superar seus próprios limites, concluímos a tempo. No sufoco, mas a tempo. E ainda tivemos como incluir alguns detalhes que deixaram o coelhinho, digamos, mais simpático: Uma gravata borboleta, a apetitosa cenoura em suas patas e um cesto de “ovos”. Outro detalhe fundamental para dar realismo ao coelho, era a dobra em uma das suas orelhas. O cara ficou charmosão!

Em outra praça, uma das mais sofisticadas, fizemos um “lago” repleto de "ovos"(balões de varias cores e tamanhos, espalhados dentro de um lago artificial).



O nível de stress foi altíssimo para todos da equipe, mas no fnal, ao visualizarmos o resultado final, a satisfação de dever cumprido nos encheu de ânimo e alegria.
Era o teste que precisávamos para, a partir dali, prosseguirmos, mais confiantes, por esse magnífico segmento da Arte com Balões, uma das mais fascinantes vertentes do Balonismo artístico.
De lá para cá já realizamos uma série de outras esculturas, cada uma delas com peculiaridades e histórias pitorescas. E vamos contá-las depois.

Feliz Páscoa!

domingo, 29 de março de 2009

Balões e a efervescência

Uma brincadeira comum em alguns países, onde balões com água são usados por crianças, serviu de inspiração para um comercial altamente criativo. Câmeras capazes de gravar até 10.000 frames (quadros) por segundo foram utilizadas para captar a explosão dos balões, mostrados em câmera lenta, num recurso chamado Slow motion. O efeito causado de forma inusitada é para sugerir a efervescência das bebidas da conhecida marca Schweppes.
Intitulado de "Burst" (estouro, explosão, erupção), o comercial foi criado pela agência Yong and Rubicam, de Melbourne, segunda maior cidade da Austrália, situada no estado de Victória.
A trilha sonora foi outro ponto forte no comercial e emociona!: "To build a home" (Construir uma casa), com a Cinematic Orchestra. Quem quiser ouvir a música na integra, envia e-mail solicitando, que encaminharemos o arquivo.
Vejam o vídeo:

video

terça-feira, 24 de março de 2009

Surrealismo com balões - Paul Graves

Publiquei no blog do GBA (http://www.gbabaloes.blogspot.com ) e achei tão bacana que trouxe também para cá...

Impacto visual! É o que causa as esculturas do artista e também fotógrafo Paul Graves. Ele já trabalhou antes com balões, mas agora dedica-se a arte da fotografia, apesar de produzir as suas próprias peças para depois fotografar.


Incrível o que ele faz...
Nestas fotos em destaque, o coração flutuante sai de dentro do peito da figura surreal. Foi capa da revista italiana Domus.




Em outra foto pra lá de interessante, temos o "Jardim do Éden".


A "Serpente" é mostrada no detalhe...

Para conferir mais fotos do artista, acesse http://www.paulgravescreative.com/

domingo, 22 de março de 2009

O Blog e a Caravela




Olá, amigos e visitantes do meu blog!
Antes de mais nada, obrigado pela visita.


Fazia um bom tempo que eu mesmo me cobrava ter um.


Achava perda de tempo, coisa de quem não tem o que fazer e como o meu já é um tanto quanto escasso, usava o argumento como desculpa para não fazê-lo.


Mas motivado por uma amiga, a Lia Palka, do Rio de Janeiro, fiz o blog do GBA-http://www.gbabaloes.blogspot.com/, um grupo de discussão relacionado ao setor dos balões, do qual sou o fundador e um dos administradores.

Gostei da experiência e cá estou eu, fazendo o meu blog pessoal.
Como primeira foto, quero destacar a “Caravela do Descobrimento”, provavelmente o meu maior feito, literalmente, na atividade com balões. Era uma escultura gigante tridimensional, com mais de 11m de altura, que levou mais de uma semana para ficar totalmente pronta, consumindo algo em torno de 15.000 balões, que foram fixados com o auxílio de clips, na estrutura montada com varas de alumínio e tela de arame galvanizado. Foi construída em 2000, durante as comemorações dos 500 anos do Brasil e outra curiosidade é que por causa do cansaço, ocasionado pelas várias noites sem dormir, quase causei um enorme acidente de trânsito, ao cochilar no volante do meu carro enquanto levava meus auxiliares para casa. Bom, o susto foi grande sim, mas estamos aqui, são e salvos para contar a história dela (e também a minha, hehehe...).


Inclusive, queremos superar o recorde, que já figura no Rank Brasil, o livro dos recordes nacional, como a maior escultura feita com balões no país em estrutura tridimensional


Valeu, galera!